País vive num mundo paralelo, diz jurista germânica sobre atual estado de exceção

O Brasil já funciona em estado de exceção, embora muitos ainda acreditem no pleno funcionamento das instituições. Entretanto, ao contrário do mundo oficial e da mídia nativa que dá suporte ao governo, existem opiniões reais que contrastam com o “mundo paralelo” vivido pelos brasileiros.

Em decorrência dessa conjuntura surrealista, a jurista, ex-deputada e ex-ministra da Justiça da Alemanha Herta Däubler-Gmelin de passagem pelo País e após um encontro com a presidente deposta Dilma Rousseff, disse que pretende denunciar na Europa o golpe parlamentar contra ela e a perseguição judiciária contra o ex-presidente Lula.

"Estou chocada como esses fatos não chegaram na Alemanha e na Europa geral. Vou procurar os partidos, vou relatar estes fatos, buscar os jovens, pedir ajuda às redes sociais, para que possamos refletir sobre o caráter de tudo que está acontecendo aqui" disse; na semana passada, ela teria dito ainda que "há dúvidas sobre a isenção da Justiça no Brasil"

A jurista germânica acredita que o Brasil e os brasileiros vivem em “outro mundo”. Ela ficou espantada com o fato da Câmara Federal ter vetado autorização para que o STF abrisse investigação contra o presidente Michel Temer, e mais espantada ainda pelo fato de Temer não ter renunciado após a denúncia da Procuradoria Geral da República.

Fonte: Brasil 247 e outros sites

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black