Especialista aponta que mísseis podem atingir EUA entre 28 e 41 minutos

Os últimos testes de mísseis balísticos por parte da Coreia do Norte elevaram o nível de preocupação no meio da comunidade internacional. Na ausência de informações oficiais, a mídia confia nos cálculos dos especialistas para conhecer em primeira mão de quanto tempo os cidadãos precisarão para procurar refúgio em caso de conflito nuclear.

Segundo os dados oficiais de Pyongyang, o Hwasong-14 percorreu 988 quilômetros em 47 minutos, alcançando uma altitude de 3.725 quilômetros antes de cair no mar do Japão.

Esta seria uma parábola excessiva para um lançamento real.

Contudo, pouco depois do lançamento, o físico e codiretor da União de Cientistas Preocupados, David Wright, calculou que, se tiver uma trajetória balística padrão, o Hwasong-14 seria capaz de alcançar cerca de 10.400 quilômetros de distância. Isso sugere que vários territórios e cidades dos EUA, tais como Guam, Alasca, Los Angeles ou Chicago, estariam ao alcance do míssil.

Preocupado com a notícia, a edição Business Insider entrevistou David Wright para conhecer informações mais detalhadas quanto a isso. Em particular, os jornalistas estavam interessados em saber o tempo que levaria o míssil Hwasong-14 para atingir o território dos EUA.

De acordo com o analista, com o ângulo correto e várias modificações, os mísseis balísticos intercontinentais norte-coreanos poderiam atingir uma velocidade entre cinco e oito quilômetros por segundo.

"Eu indiquei números que, em minha opinião, são apropriados para os mísseis da Coreia do Norte. Calculei-os depois de anos estudando o assunto", explicou Wright.

Baseando-se nesses números e na distância que um hipotético míssil norte-coreano deveria percorrer para atingir os territórios dos EUA, o professor calculou o tempo de voo estimado dos mísseis.

Território dos EUA Distância da Coreia do Norte, km Tempo aproximado de voo

Guam, oceano Pacífico

3.500 00:18:30

Anchorage, Alaska

5.960 - 00:29:00

Honolulu, oceano Pacífico

9.190 - 00:37:00

Los Angeles, Califórnia

9.550 - 00:38:00

Chicago, Illinois

10.360 - 00:39:30

Nova York

10.860 - 00:40:30

Washington D.C.

10.990 - 00:41:00

No entanto, o cientista sublinhou que, devido à falta de informações confiáveis, estes são cálculos aproximados e não podem ser considerados como uma referência infalível.

Primeiro, Wright especificou que esses cálculos não levam em conta a rotação da Terra. Porque quando o míssil atinge a órbita baixa do planeta, a Terra não para num lugar, mas começa "girando", dependendo de sua direção e trajetória.

Isso não apenas torna os cálculos mais complexos, mas requer saber a trajetória exata com a qual o foguete seria lançado. Se um míssil balístico toma a direção ao leste, ganhará a velocidade em relação à Terra, e se for ao oeste, perderá velocidade. Também depende se for lançado para norte ou para sul, já que a Terra se move mais rápido no equador que nos polos.

Outro inconveniente para o cálculo é a carga útil que leva a arma. Embora durante o teste de 28 de julho o Hwasong-14 possa ter cumprido os parâmetros de distância e tempo anunciados, não está claro se o foguete tinha um peso semelhante ao de uma ogiva real. Assim, quanto mais leve a carga útil, mais rápido e mais alto pode o míssil voar, atingindo alvos mais distantes em menor tempo.

Finalmente, o analista conclui que o potencial do Pentágono para impedir tais planos não deve ser ignorado. Afinal, os EUA implantaram sistemas interceptores não apenas no seu território, mas também no Japão e na Coreia do Sul, perto das fronteiras norte-coreanas.

Fonte Sputnik Brasil

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black