Sem recursos, FAB reduz voos semanais de abastecimento para 24 pelotões de fronteira

O governo que se instaurou após o golpe que derrubou a presidenta Dilma Roussef, segue seu roteiro de desmonte da soberania nacional e de entreguismo. Se, em 2016, o governo deu preferência a empresas estrangeiras na compra de suprimentos tecnológicos para a Defesa, agora chegou a vez de penalizar diretamente a tropa com corte de recursos para abastecimento aos 24 pelotões de fronteira.

O comandante da FAB (Força Aérea Brasileira), brigadeiro do ar Nivaldo Rossato, afirmou que estão faltando recursos para a realização de voos frequentes de abastecimento aos 24 pelotões especiais de fronteira, e escassez de verba para levar suprimentos para as bases militares sediadas em Porto Velho(RO) Boa Vista(RR, Manaus e Belém. Esses batalhões estão em áreas remotas da Amazônia, e a FAB está em dificuldades para entregar gás de cozinha, combustível, armas e munições.

A declaração de Rossato foi feita ao portal UOL durante o Segundo Encontro Internacional Sobre Financiamentos de Projetos de Defesa, em São Paulo.

Segundo ele, a FAB reduziu de 200 mil horas de voo para 120 mil horas por ano. “Temos uma grande quantidade de pilotos fora de voo por falta de recursos”, disse Rossato.

O comandante da FAB acrescentou que a escassez de recursos não afeta apenas o apoio e abastecimentos aos pelotões de fronteira – única presença do estado brasileiro nos confins da floresta amazônica. Há redução de recursos para a manutenção de voos para a Estação Comandante Ferraz, na Antártica, que está sendo reconstruída após um incêndio, em 2012, que destruiu 70% das instalações.

Fonte UOL

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black