Empresário volta a delatar TV Globo na polícia dos EUA pelo pagamento de propina

O blog segue replicando reportagens do site Brasil 247, em que a TV Globo, emissora da família Marinho, está no centro de denúncias de corrupção, pelo pagamento de propina para obter exclusividade de transmissão dos jogos da Seleção Brasileira até 2020. A investigação é do Ministério Público e da polícia norte-americana, em Nova York; e não brasileira. O empresário argentino Alejandro Burzaco voltou a depor - e delatar, o esquema de corrupção na FIFA, que inclui empresas esportivas e de comunicação em alguns países.

Todas as informações mais quentes sobre o caso têm sido reveladas pelo jornalista Ken Bensinger, que cobre o caso para o Buzzfeed, e está escrevendo um livro sobre a corrupção no futebol, no qual a Globo ocupa posição de destaque . Em nota, a TV Globo nega o envolvimento no pagamento de suborno. Veja a matéria

O empresário Alejandro Burzaco, que ontem delatou propinas supostamente pagas pela Globo para adquirir direitos de transmissão da Libertadores e da Sulamericana, prestou novo depoimento nesta quarta-feira 15; de novo, mais artilharia contra a emissora da família Marinho; ele afirma que a Globo participou de uma esquema de US$ 15 milhões em propinas – o equivalente a R$ 50 milhões – para assegurar direitos de exclusividade nas Copas de 2026 e 2030; ele também citou uma complexa engenharia financeira, que fez com que o dinheiro fosse pago por meio de subsidiárias na Holanda, país que funciona como paraíso fiscal para multinacionais; depois, a propina foi transferida ao banco suíço Julius Baer, o que indica que ela poderá ser rastreada pela Justiça americana e pela brasileira – neste caso, claro, se houver interesse.

A situação jurídica da Globo se complicou ainda mais nesta quarta-feira 15, no segundo dia de depoimentos do empresário argentino Alejandro Burzaco, que, ontem, já havia delatado a emissora da família Marinho por propinas pagas na compra dos direitos de transmissão da Libertadores da América e Copa Sulamericana.

No depoimento de hoje, Burzaco revelou como a Globo participou de um esquema de propinas de US$ 15 milhões – o equivalente a R$ 50 milhões – para assegurar exclusividade nas Copas de 2026 e 2030.

A propina teria sido paga, segundo Burzaco, numa conta no banco Julius Baer, na Suíça, ao dirigente Julio Grondona, já falecido, e que foi homem forte do futebol argentino. À época das negociações, Grondona era também dirigente da Fifa e cuidava dos direitos de transmissão na América Latina.

Para que isso ocorresse, a Torneos y Competencias, de Buzarco, teria sido orientada pela Globo a criar uma subsidiária na Holanda, que funciona como paraíso fiscal para multinacionais, para receber a propina, antes de repassá-la a Grondona.

Depois do seu depoimento, rico em detalhes, será possível agora rastrear todo o percurso do dinheiro – da Globo, na Holanda, para a Torneos y Competencias, também na Holanda, e depois para a conta de Grondona, na Suíça.

Ontem, a Globo negou o pagamento de propinas. Disse ter feito sua própria investigação interna, na qual teria chegado à conclusão de que ela própria, Globo, é inocente.

Todas as informações mais quentes sobre o caso têm sido reveladas pelo jornalista Ken Bensinger, que cobre o caso para o Buzzfeed, e está escrevendo um livro sobre a corrupção no futebol, no qual a Globo ocupa posição de destaque.

Ao supostamente pagar propinas para adquirir direitos de transmissão de torneios esportivos, a Globo reforça sua posição monopolista na comunicação – o que amplia sua capacidade de manipular a opinião pública e golpear a democracia, como ocorreu em 1964 e 2016.

Em nota, a Globo negou estar envolvida em corrupção e promete transparência em seus atos. Leia a nota abaixo:

” Sobre depoimento ocorrido em Nova York, no julgamento do caso Fifa pela Justiça dos Estados Unidos, o Grupo Globo afirma veementemente que não pratica nem tolera qualquer pagamento de propina. Esclarece que após mais de dois anos de investigação não é parte nos processos que correm na justiça americana. Em suas amplas investigações internas, apurou que jamais realizou pagamentos que não os previstos nos contratos. Por outro lado, o Grupo Globo se colocará plenamente à disposição das autoridades americanas para que tudo seja esclarecido. Para a Globo, isso é uma questão de honra. Não seria diferente, mas é fundamental garantir aos leitores, ouvintes e espectadores do Grupo Globo de que o noticiário a respeito será divulgado com a transparência que o jornalismo exige.”

Alexandre Buzarco é empresário do mundo esportivo, e negociou sua delação ao Ministério Público dos EUA

Fonte Brasil 247

Buzzfeed

Tags:

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black