Eleições gerais em Cuba assinalam o fim da “era Castro”; Diaz-Canel assumirá o governo

Os cubanos foram às urnas neste domingo (11) para ratificar os 605 membros da Assembleia Nacional que irão escolher o sucessor de Raúl Castro.

Quando o atual mandatário deixar o poder, em 19 de abril, será a primeira vez em quase seis décadas que o poder na ilha caribenha caberá a alguém que não tenha o sobrenome Castro.

O sucessor do general e possível próximo presidente, o vice-presidente Miguel Díaz-Canel, de 57 anos e representante da geração de mandatários nascidos depois da Revolução de 1959, apostou pela “continuidade” do sistema e finalizou: “Não concebo rupturas”.

Nova geração: Miguel Diaz-Canel, em declarações, reiterou a "firmeza em defesa do status da Revolução cubana"

Díaz-Canel, em declarações à imprensa, evitou a pergunta sobre sua esperada chegada à presidência e se limitou a reiterar a firmeza do status quo: “Sempre existirão presidentes em Cuba defendendo a Revolução e serão companheiros que sairão do povo, eleitos pelo povo”.

Mais de 8 milhões de cubanos foram convocados a ratificar tanto os delegados de suas assembleias provinciais quanto os 605 nomes propostos para a Assembleia Nacional pelo Partido Comunista de Cuba (PCC), o único partido autorizado.

Sirenes anunciam fim de um ciclo da Revolução; país vive momento de transição

As mudanças, todavia, não devem ser drásticas. Pouco antes do pleito começar, o ministério das Relações Exteriores foi ao Twitter falar sobre a transição:

"Alguns ouvem músicas de sirenes e anunciam o fim da 'era Castro'", afirmou a chancelaria cubana. "O próximo presidente não terá esse sobrenome. Mas, sem dúvida, será um filho da Revolução".

Raúl Castro assumiu o poder quando seu irmão Fidel deixou o cargo em 2006 por problemas de saúde — ele governava o país desde a Revolução Cubana, em 1959.

Os candidatos propostos podem ou não ser membros do PCC e provêm tanto de eleições locais quanto de organizações sindicais e estudantis pró-governo.

"Não concorrem partidos políticos, nem se financiam campanhas. A base para propor e eleger os candidatos é o mérito, a capacidade e o compromisso do povo", disse Raúl Castro em 2017.

Na lista, está garantida a cúpula do PCC, incluindo Castro, os líderes históricos da Revolução e 322 mulheres.

"Ninguém troca promessas por votos, ou faz publicidade de sua capacidade de conseguir apoiadores (…) Este é o rosto verdadeiro e excepcional do que chamamos orgulhosamente de democracia socialista", escreveu o jornal estatal Granma.

Após as eleições, a Assembleia Nacional irá escolher 31 membros para o Conselho de Estado, que selecionam, entre eles, o novo presidente.

O cenário mais provável é que o atual vice-presidente Miguel Díaz Canel, de 57 anos, seja o novo mandatário. Ele já afirmou publicamente que irá defender o legado da família Castro:

"Sempre haverá presidente em Cuba defendendo a Revolução, e serão companheiros que sairão do povo", disse ele, em novembro passado.

Díaz Canel é engenheiro e subiu na hierarquia do PCC ao longo de três décadas.

Já Raúl Castro, de 86 anos, deve seguir como primeiro-secretário do PCC até 2021.

Raul Castro deve deixar o comando do país, mas segue na secretaria-geral do PC; Miguel Diaz-Canel, o substituto

Fonte Sputnik Brasil

El País

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black