Ministros do STF são o que eles dizem sobre eles mesmos? Ou é mistura do mal com o atraso?

Os ministros da nossa “Suprema” Corte são exatamente o que eles dizem sobre eles mesmos? Ou há algo a acrescentar?

A função do STF é guardar a Constituição, ou a Constituição que vale é aquela que os ministros interpretam?

A interpretação é a partir do que está escrito na Carta, ou aplica-se uma Constituição que não existe, como diz o próprio Gilmar Mendes?

Contorcionismo é uma técnica circense que os ministros do STF aplicam naturalmente? Ou faz parte do novo normal do Brasil?

Ministro do STF mantém aberto escritório de advocatícia, como disse Gilmar?

As torcidas se agitam. Simpatizantes de Barroso juram que ele defende uma “postura mais assertiva do Judiciário, que segundo ele deveria suprir lacunas deixadas pelo Legislativo e Executivo, ao mesmo tempo em que deve ser mais rígido no âmbito criminal”. Lembrando que para se chegar ao Legislativo e ao Executivo são precisos votos dos eleitores brasileiros. Se preenche lacunas com o quê?

Até aqueles que odeiam Gilmar Mendes, juram que ele “defende que o Judiciário deve ter um maior cuidado com a independência entre os Poderes da República, e também que os ministros do Supremo devam observar uma maior garantia de direitos individuais e do devido processo legal em ações penais”.

Assim: quando decide a favor de criminosos, ele é mau. Se favorece tucanos, é espetacular! Se desfavorece as esquerdas, é um grande jurista!

Duelo verbal entre os ministros mostram a face real do Supremo e mostra a face do novo normal do Brasil 2018

Mas na semana que antecede a possível prisão do ex-presidente Lula, o STF virou um ringue verbal. durante julgamento sobre a constitucionalidade ou não de doações ocultas para límpidas campanhas eleitorais no país.

O ministro Gilmar Mendes, de novo, fez críticas a diversas decisões recentes do Supremo, inclusive a "manobra" que liberou o aborto para grávidas com até três meses de gestação, ação relatada pelo ministro Barroso, que a mídia nativa retrata como um oráculo, fonte de sabedoria suprema.

"Agora eu vou dar uma de esperto e vou conseguir a decisão do aborto. De preferência com três ministros, que aí a gente consegue com dois a um", ironizou o implacável e odiado Gilmar Mendes, em referência ao julgamento de um habeas corpus, na Primeira Turma, no qual a decisão do aborto foi tomada.

Aí, veio o troco do Barroso: “Vossa Excelência me deixe fora desse seu mau sentimento. Você é uma pessoa horrível, uma mistura do mal com o atraso e pitadas de psicopatia. Isso não tem nada a ver com o que está sendo julgado", reagiu Barroso, com a voz elevada. E prosseguiu:

"É um absurdo [que] Vossa Excelência faça um comício aqui, para falar grosserias. Vossa Excelência não consegue articular um argumento. Fica procurando. Já ofendeu a presidente, já ofendeu o ministro Fux, agora chegou a mim. A vida, para Vossa Excelência, é só ofender as pessoas, não tem nenhuma ideia. Nenhuma. Nenhuma!", acrescentou Barroso.

De saída da tal sessão que a ministra Carmem, que preside a “Suprema” suspendeu, o ministro Gilmar, cuja voz já foi escutada em várias ligações telefônicas vazadas com o Aécio Neves, o “Mineirinho” da lista da Odebrecht, voltou a falar:

"Desonra se faz aplicando uma Constituição que não existe (…). Vou continuar censurando esta prática onde eu estiver. Tenho ódio à manipulação. Tenho ódio à mistificação" afirmou, completando que Barroso "age por ódio", disse Gilmar sobre Barroso.

Fonte das imagens; Junião e outros sites

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black