Venezuela fortalece defesa: 100 tropas russas desembarcam com 35 toneladas de equipamentos

A ameaça constante de intervenção militar na Venezuela feita pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com apoio do governo do Brasil colocam as tensões diplomáticas no hemisfério sul em ponto elevado; dois aviões da Força Aérea da Rússia aterrissaram no principal aeroporto da Venezuela no último sábado (23) carregando um oficial russo de Defesa e quase 100 tropas. As informações são da Reuters.

Segundo observadores, o presidente da Rússia, Wladimir Putin, despachou para Venezuela um destacamento avançado composto por conselheiros militares sob o comando do chefe de gabinete das forças terrestres da Rússia, Vasily Tonkoshkurov. O material bélico, segundo opinam os observadores, aparentam ser radares avançados e de defesa aérea.

Imagem da Três Editora sobre desembarque de conselheiros militares russos na Venezuela

Venezuela e Rússia firmaram acordos militares ainda durante o governo de Hugo Chaves, acordos que se estreitaram na última visita de Nicolas Maduro à Rússia, recentemente. A Rússia tem em solo venezuelano um número não confirmado de cidadãos russos, interesses econômicos na exploração de ouro.

Em recente declaração, a chancelaria russa declarou que o país defenderá seus interesses econômicos na Venezuela.

Exército Bolivariano opera complexos de baterias antiaéreas S-300, e mísseis de cruzeiro russos

O repórter Javier Mayorca escreveu no Twitter, no sábado, que o primeiro avião levou Vasily Tonkoshkurov, chefe de gabinete das forças terrestres, acrescentando que o segundo era um avião de carga carregando 35 toneladas de material.

Informação surge três meses depois dos países realizarem exercícios militares em solo venezuelano, no que o presidente Nicolás Maduro chamou de um sinal de fortalecimento das relações, mas que foi criticado pelos EUA, que considerou como uma invasão da Rússia na região.

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro(E) em recente encontro com Putin(D): acordo de cooperação militar

Brasil jogado no centro do conflito militar

Segundo matéria veiculada pelo jornal O Globo, em visita ao Chile , o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse na última sexta-feira que "será necessário o uso da força" contra a Venezuela , em entrevista ao jornal La Tercera. Depois recuou nas suas declarações. O deputado atua como chanceler informal do novo governo do Brasil.

“Ninguém quer uma guerra, a guerra é ruim, haverá vidas perdidas e consequências colaterais, mas Maduro não vai sair do poder de maneira pacífica. De alguma maneira, vai ser necessário o uso da força, porque Maduro é um criminoso”. Disse Eduardo Bolsonaro.

Fontes O Globo

Reuters.

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black