Pantomima: STJ mantém condenação de ex-presidente e ainda faz transparecer magnanimidade

STJ manteve a condenação do ex-presidente, e ainda fez transparecer magnanimidade. Quando tudo não passa de uma pantomima jurídica. O apt. Não é do Ex-presidente, a denúncia tem como base delações sem provas; todo processo, do nascedouro até o STJ, eivado em estranhezas desde São Paulo, que tinha jurisprudência sobre o caso, mas passou para Curitiba; o juiz que condena de sem provas, para garantir a eleição de um candidato. A segunda instância referenda a condenação do juiz agora ministro; para depois uma instância superior reduzir esta mesma sentença, mantendo a condenação que juristas condenam. No mundo todo.

Lula só será libertado em consequência de um gigantesco movimento popular, não para liberta-lo, mas para estacar tudo isso que está aí.

A Nação perdeu sua soberania diante dos EUA, a extrema-direita que governa o país navega entre a insanidade e a truculência; as instituições civis padecem da pusilanimidade profunda, milícias oriundas do Rio de Janeiro se sobrepõem ao exército em poder; eles mesmos, de forma autofágica se comem pelas redes sociais e nos bastidores e a demência coletiva segue dominante nas ruas.

Os maus ganharam e vão permanecer onde estão porque o povo prefere seu estado secular que é de letargia, e os partidos ditos de esquerda não sabem o que fazer, pois desmoralizados e incapazes de odiar o opressor. Se não há ódio a quem oprime, não há revolta. Ponto. Parágrafo.

Por outro lado, CCJ da Câmara, aprovou a admissibilidade da Reforma da Previdência que agora vai ser analisada por uma comissão especial. O governo censurou acesso aos documentos técnicos que justificam ou embasam a reforma. Logo, nem a imprensa, nem os deputados, sabem do que se trata. Se o seu deputado votar a favor, foi no toma-lá-dá-cá. Vão votar sem saber do que se trata. É uma PEC, que eles desconhecem e se aparecerem dando entrevistas falando sobre o assunto, é engodo, porque estão proibidos de saber o conteúdo.

Poeta Dante Alighiere ( ilustração) autor da Divina Comédia

Em um post publicado esta semana, o artista plástico, Flávio Tavares, recorreu ao poeta Dante Alighiere, que na sua Divina Comédia, lá pelos idos de 1400, ao visitar o Inferno com Virgílio, poeta romano, não poupou o homem a afirmar que “os covardes e os indecisos não vão para o inferno, nem para o céu, agonizam mesmo aqui na Terra. Picados por exames de vespas, eles correm sem parar, o sangue que sai pelas picadas mistura-se as lágrimas e escorre até os pés, que são roídos pelos pés”.

A Barca, o canoeiro-ceifador conduz pelo Inferno

Bela definição do povo, feita antes mesmo do brasileiro exisitir. Deus lhe pague!

Imagens: Wikipédia

Opinião

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black