Vírus Ceifador avança: instituições e sociedade seguem emparedadas e acovardadas diante da insanidad

Estou aqui em estado de isolamento, sem poder circular , e à espera de um virus letal, o Ceifador que se apresenta como incontrolável; de braços cruzados assistindo instituições republicanas ditas democráticas e defensoras do estado de direito, emparedadas e acovardadas diante de um um governo servil a interesses estrangeiros, insano nas atitudes que toma. A demência geral da Nação é tamanha, a ponto de um cidadão estrangeiro, procedente do Haiti, como uma luz lúcida postar-se frente ao beócio e dizer o que o mundo já sabe, mas que o Brasil segue reverenciando. Que ele, o tenente Messias presidente do País, acabou!

Imagem. mises brasil

Assistimos a queda do governo, que será lenta e talvez nem aconteça completamente. Não como resultado de resistência democrática. O governo pode até cair, mas os organismos de estado, infectados pelo fascismo e por pelo pensamento nazista, vão se manter sem que sejam depurados. Templos serão reabertos e com mais fiéis, como contribuintes da cura, que todos sabemos agora que é e será mérito apenas da Ciência.

Em “Álbum de Família”, do impagável Nelson Rodrigues, tem uma cena que começa assim:

Speaker – “Segunda página do álbum. 1913. Um ano antes do chamado Pandemônio louco, Senhorinha não é mais a noiva tímida e nervosa”.

E bem que poderíamos plagiar assim:

Speaker – “Segunda página do álbum. 2018. Um ano antes do chamado pandemônio louco, a Nação não é mais a noiva tímida e nervosa, que escolheu o fascismo como cônjuge”. Ninguém foi enganado.

A coragem reduzida a um Panelaço; mesmo com ameaça de um vírus esta é a reação possível; Imagem Piauí hoje

Agora, a Nação está casada como nazi-fascismo. E parece feliz. Vejam que“pandemônio louco”. O Ministro da Saúde diz que o “Brasil não vai realizar testes em massa, mas apenas em pessoas suspeitas de contaminação”, o que potencializa o risco de propagação do coronavírus, segundo constatação da Organização Mundial de Saúde. Sem relevar que tudo é “histeria”, “Fantasia”.

Um dos cônjuges da Nação ( sim. A Nação é como Dona Flôr e Seus Dois Maridos, de Jorge Amado), filho do Tenente Messias, se assumindo porta-voz da América, disparou pelas redes sociais culpando a China pelas desgraças do mundo. Logo a China, que mantém a economia brasileira respirando com seus parcos empregos decorrentes.

Sem medir consequências, porque a embaixada da China mandou recado de volta. Mas o troco, se levarmos em conta a tradição política chinesa, virá a longo prazo. O Botafogo, presidente da Câmara, pediu desculpas ao governo chinês. Não serve, o embaixador quer desculpas rápidas do agressor. Não precisa nem alertar a todos que o Brasil já escolheu o lado que vai perder no futuro próximo. Economicamente e militarmente.

Muitos festejam noites de panelaços promovidos pela classe média enclausurada. Não se ouviu panelas batendo nas periferias, redutos de igrejas pentecostais seguidoras do Messias, não do Cristo dos Quatro Evangelhos, mas do que faz arminhas em cultos e “marchas de fé” pelas ruas de Pindorama.

Como tudo isso vai acabar, não sabemos porque ainda está no começo. Agora não importa general cadeirante que fecha Congresso e Judiciário com uma tuitada. Importa menos general que manda um “Foda-se” para os congressistas.

O inverno bate à porta, o barco faz água e está afundando, e o Ceifador espera por todos na praia.

Ave! César. Aqueles que vão morrer te saúdam. Diziam os gladiadores, em Roma, em cerimônias apoteóticas e macabras no Coliseu. Podem atualizar a frase para o Brasil atual e o seu novo normal.

Imigrante Haitiano contesta de viva voz e presencial; jogando verdades na cara do país

Imagens. Piaui hoje,

DCM

mises brasil

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black