País padece da ausência de liderança

À falta de uma liderança nacional confiável, Três crises se acumulam no país: sanitária, econômica e política. O desfecho de tudo isso será de ruptura total na sociedade. A semana termina com o presidente defendo armar a população civil contra os governadores, que não embarcaram na política genocida adotada pela extrema direita no poder, que agrega os múltiplos segmentos dos evangélicos, forças armadas, base das polícias militares e das polícias judiciárias e do próprio judiciário.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Antes das eleições, esses segmentos já avisavam que não aceitariam o resultado do pleito em caso de fracasso nas urnas. Não deixarão o poder de forma republicana. As instituições civis, não tão democráticas assim, é que relutam em destituir o governo. Estão nesta patranha, a maioria dos deputados e senadores e militares. Para agravar a crise, percebe-se que as forças armadas se transformaram numa espécie de Centrão. Tudo em troca de cargos para militares da ativa ou da reserva em todos os níveis. O pagamento indevido de benefícios a militares da ativa, contradiz o discurso anticorrupção.

Cientistas médicos alertam que o país ainda vai passar por graves danos por conta da epidemia. Aqui mesmo na Paraíba, o quadro se agrava, pois tem sido quase inútil os apelos do governo para a manutenção do isolamento, que retarda o colapso da rede hospitalar. As medidas do governo da Paraíba são alvos de sabotagem, de pressão para favorecer o governo central.

Lembrando que a extrema direita leva a cabo as ameaças que faz.

Por Trás do Blog
Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga "PELO MUNDO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black