Humberto Mesquita volta a JP e lança “Raízes do Cangaço” em concorrida noite de autógrafos

O jornalista Hunberto Mesquita lançou nesta terça-feira,07, em concorrida noite de autógrafos na Fundação Casa de José Américo, seu livro “Raízes do Cangaço”; a também escritora Nadja Claudino fez a apresentação do livro, um painel sobre conjuntura social, religiosa e política, que deram origem ao cangaço no Nordeste.



Humberto Mesquita(C) em noite de lançamento do seu livro na Fundação Casa de José Américo


Natural de Campina Grande, Humberto Mesquita foi aluno do Liceu Paraibano, em João Pessoa, de onde migrou para o Rio de Janeiro nos anos 60. Na antiga Guanabara, chegou a treinar no Bangu, mas acabou como jornalista e editor de Televisão nos anos 1960.



Foi como editor de entrevistas para a TV Bandeirantes, já em São Paulo, que Mesquita se familiarizou com o tema cangaço, através de Cristina Mata Machado, que àquela altura fora dar uma entrevista na TV e os dois se conheceram.

A partir desse encontro como Cristina, que estava preparando sua tese de Mestrado sobre o cangaço, Humberto Mesquita se interessou pelo assunto e também pela moça.


Grupo Folclórico sobre o cangaço com João Costa(E) e Emanoel Arruda(C) pesquisador sobre o cangaço


Assim o casal descobriu e localizou endereços de vários ex-cangaceiros quer residiam em São Paulo. A partir desse contato, surgiram reportagens sobre o tema, os ex-cangaceiros saíram do anonimato, e o casal se notabilizou por possibilitar ao Brasil uma nova compreensão sobre o cangaço e cangaceiros.


O lançamento do livro também serviu para Humberto Mesquita reencontrar-se com antigos colegas do colégio Liceu Paraibano, como o historiador José Octávio de Arruda Melo e o professor Carlos Pereira. Marcaram presenças ao lançamento de "Raízes do Cangaço", Ramalho Leite, presidente da Academia Paraibana de Letras, Emanoel Arruda, pesquisador do cangaço e membro da Academia de Letras de Princesa Isabel, a pesquisadora Mayara e a escritora Nadja Claudino.