Lançamento do livro "Raízes do Cangaço" reúne historiadores na Fundação José Américo

O jornalista Hunberto Mesquita lançou nesta terça-feira,07, em concorrida noite de autógrafos na Fundação Casa de José Américo, seu livro “Raízes do Cangaço”; a também escritora Nadja Claudino, autora do livro “Maria Bonita – Entre o Punhal e o Afeto”, fez a apresentação do livro, um painel sobre conjuntura social, religiosa e política, que deram origem ao cangaço no Nordeste. Assista vídeo com Humberto Mesquita.



Natural de Campina Grande, Humberto Mesquita foi aluno do Liceu Paraibano, em João Pessoa, de onde migrou para o Rio de Janeiro nos anos 60. Na antiga Guanabara, chegou a treinar no Bangu, mas acabou como jornalista e editor de Televisão nos anos 1960.


Foi como editor de entrevistas para a TV Bandeirantes, já em São Paulo, que Mesquita se familiarizou com o tema cangaço, através de Cristina Mata Machado, que àquela altura fora dar uma entrevista na TV e os dois se conheceram.

A partir desse encontro como Cristina, que estava preparando sua tese de Mestrado sobre o cangaço, Humberto Mesquita se interessou pelo assunto e também pela moça.


Humberto Mesquita(E) é paraibano, de Campina Grande, e pesquisador do Cangaço


Assim o casal descobriu e localizou endereços de vários ex-cangaceiros quer residiam em São Paulo. A partir desse contato, surgiram reportagens sobre o tema, os ex-cangaceiros saíram do anonimato, e o casal se notabilizou por possibilitar ao Brasil uma nova compreensão sobre o cangaço e cangaceiros.


Intelectuais e jornalistas marcaram presenças no lançamento do livro. Ramalho Leite, presidente da Academia Paraibana de Letras, o historiador José Otávio de Arruda Melo, professor Carlos Pereira, acadêmico Abelardo Jurema, Nadja Claudino, a pesquisadora Mayara, Emanoel Arruda, presidente da Academia de Letras de Princesa Isabel.