Locais icônicos da Revolta de Princesa e rota do cangaço lampiônico na PB

A mídia oficial quando trata da divulgação do turismo e locais de visitação na paraíba, foca nas belezas do Litoral e algumas igrejas e logradouros em João Pessoa, principalmente. Passa ao largo de locais icônicos da História da Paraíba, notadamente situados em municípios distantes da capital.


Casarão onde o sargento-PM Clementino Quelé manteve Alexandrina Diniz como refém


O blog visitou um desses locais icônicos e "cancelados" pela divulgação turística oficial. Trata-se de Patos de Irerê, distrito de São José de Piranhas.

Ainda é possível o espetacular casarão - em ruínas - do coronel Floro Diniz, palco de combates durante a revolta de Princesa, ocorrida entre fevereiro e julho de 1930.


Incluindo a capela de São Sebastião, local onde está sepultado o casal Marcolino e Alexandrina Diniz 9 dona Xandu). Ele, coiteiro de Lampião e chefe militar da Revolta de Princesa. Ela, personagem de fatos históricos durante a revolta, na condição de Vítima de sequestro por parte das forças volantes, leais ao governo do então presidente João Pessoa.


A capela de Marcolino e Xandu


Alguns locais estão preservados - bem cuidados, inclusive - pelas descendentes de antigas famílias. A exemplo da casa de Marcolino Diniz e Xandu, um coito seguro de Virgulino Ferreira da Silva, Lampião na década de 20.


Casa de Marcolino Diniz


Rota do Cangaço