Putin reage ao Ocidente e ordena prontidão das forças nucleares; Europa censura mídia russa

O presidente Vladimir Putin reagiu ao que classificou de agressões de oficiais da OTAN e, como resposta a “observações agressivas do Ocidente”, o líder russo ordenou que as forças dissuasoras do Exército russo fossem colocadas em regime de alerta especial. Em vídeo divulgado pela agência Sputnik brasil, o presidente russo explicou suas razões para atacar a Ucrânia. Veja vídeo.


Presidente Vladimir Putin subiu o tom em meio às pressões de países associados à OTAN


"Altos funcionários dos principais países da OTAN permitem [fazer] observações agressivas dirigidas contra o nosso país, por isso ordeno ao ministro da Defesa e ao chefe do Estado-Maior para colocarem as forças dissuasoras do Exército russo em regime de alerta especial", disse Putin neste domingo (27).


"Ordeno ao ministro da Defesa e ao chefe do Estado-Maior para colocarem as forças dissuasoras do Exército russo em regime de alerta especial", disse Putin em uma reunião com o ministro da Defesa Sergei Shoigu e o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas, general de exército Valery Gerasimov.


Dirigindo-se ao ministro da Defesa, Sergei Shoigu, e ao chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas, Valery Gerasimov, Putin ressaltou que os países ocidentais também estão tomando ações hostis contra a Rússia na esfera econômica.

"Refiro-me às sanções ilegítimas das quais todos estão bem cientes", acrescentou.



Na sexta-feira (25) os líderes da OTAN realizaram uma cúpula virtual de emergência. A Aliança Atlântica advertiu que "o mundo" iria "responsabilizar a Rússia, bem como Belarus, por suas ações" e acusou Moscou de assumir "plena responsabilidade por este conflito" ao "rejeitar o caminho da diplomacia e do diálogo repetidamente proposto pela OTAN e aliados".


As forças de dissuasão estratégica destinam-se a conter a agressão contra a Rússia e seus aliados, bem como para derrotar o agressor em uma guerra com uso de vários tipos de armamentos, incluindo armas nucleares.


CENSURA - Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell anunciou neste domingo (27) que a Europa decidiu proibir transmissões das agências de notícias russas RT e Sputnik em todo o continente.

Em seu discurso, Borrell classificou os dois veículos como "campeões da manipulação de informações".

A ação militar russa na Ucrânia teve início na última quinta-feira (24). Quase 370 mil pessoas já deixaram o país.

Fonte: material da agência Sputnik brasil.